quarta-feira , 22 novembro 2017
15 de Maio de 2013

Justiça bloqueia bens do prefeito de João Monlevade

O prefeito de João Monlevade, na região Central de Minas, teve seus bens bloqueados pela Justiça por ter sido considerado um “funcionário fantasma”. A decisão de primeira instância foi concedida pelo juiz Rodrigo Péres Pereira, na última quinta-feira (9).
Teófilo Faustino Miranda Torres Duarte (PSDB) teve os bens bloqueados até o valor de R$ 174 mil. A quantia corresponde ao que foi desembolsado pela prefeitura para o pagamento do advogado.

De acordo com ação proposta pelo Ministério Público em Nova Serrana, Torres Duarte – que é filho do ex-deputado Mauri Torres – foi contratado pelo então prefeito de Nova Serrana Paulo César de Freitas (PDT) para prestar serviços advocatícios e de consultoria. O contrato foi mantido por dois anos, com salário mensal de R$ 5 mil, no entanto o servidor nunca esteve na prefeitura.

Torres alega ter prestado os serviços de consultoria à Prefeitura de Nova Serrana, e informou que já conversa com seus advogados para recorrer da decisão. “Estou tranquilo porque sei que a minha contratação ocorreu de forma correta”, afirma o tucano.

O então prefeito de Nova Serrana, Paulo César de Freitas (PDT), também aparece na ação que tramita na Justiça.

Fonte : O Tempo