sexta-feira , 24 novembro 2017
12 de Maio de 2013

Alto luxo é pouco para definir o padrão atual de imóveis no mercado mineiro

20130510111202761955oUnidades com até 900m², seis vagas de garagem, elevador para carro e preços que chegam a R$ 10 milhões

Foi-se o tempo em que imóveis de alto luxo custavam R$ 1 milhão. Para desfrutar de adega climatizada no subterrâneo do prédio, academia bem equipada, elevador de carro, vista privilegiada, home cinema e outros atrativos, os belo-horizontinos chegam a desembolsar 10 vezes mais. Como a oferta é restrita, as unidades à venda são disputadas pelos milionários.

“Luxo não está só em acabamento. Aliás, acabamento é o de menos. A pessoa que procura um imóvel de R$ 3 milhões para cima vai fazer tudo do seu jeito”, comenta Alexandre Gribel, sócio da MCA, imobiliária voltada para esse nicho de mercado. Entre as ofertas mais caras está uma cobertura no Bairro Belvedere, com vista definitiva para a cidade, que vale R$ 9 milhões. Gribel diz que a venda demora de seis meses a um ano, mas em dois meses os corretores encontraram interessados

20130510095246297096uO diretor-presidente da Conartes Engenharia, José Francisco Cançado, diz que luxo hoje é ter espaço. “Lembro-me que em 1985 um apartamento de 160 metros quadrados (m²) era top de mercado. Hoje fala-se em mais de 500m² com a mesma naturalidade. As pessoas querem morar em espaços mais generosos, ter cozinha grande para receber amigos, varandas com espaço gourmet, suítes do casal com dois closets e dois banheiros”, aponta. No Edifício Saint Paul de Vence, em Nova Lima, os apartamentos de R$ 6 milhões têm 500m², quatro suítes, dois quartos de empregada e espaço para spa na sala. Um casal optou por comprar duas unidades e vai uni-las

Nos prédios da Conartes não podem faltar janelas com acionamento elétrico e aquecimento central solar. “Vendemos apartamento para um público que anda de carro importado, viaja para o exterior e conhece tudo do bom e do melhor”, pontua. Normalmente, os clientes estão na faixa dos 40 anos, já têm estabilidade financeira e querem morar em um apartamento de alto padrão. À frente da construtura, ele comemora o fato de o mercado de alto luxo se manter estável, pois não aumenta no boom imobiliário nem diminui com crise.

Na visão do gerente comercial da RE/MAX Mix, Marcus Parreiras, o público é realmente restrito, mas a demanda existe e tende a crescer. Várias estratégias são utilizadas para identificar possíveis compradores para os imóveis que ele oferece na Região da Pampulha. Atualmente, o corretor trabalha na venda de uma casa de R$ 10 milhões no Bairro Bandeirantes, onde será organizado um coquetel para um grupo seleto de interessados, entre empresários, executivos estrangeiros. Outra ideia foi produzir um vídeo, que pode ser visto apenas por possíveis compradores, apresentando o imóvel, de 900m².

Todos os detalhes da casa de três andares foram pensados por uma empresária que, nos últimos 10 anos, construiu sete habitações assim, para morar e depois vender. “O luxo dessa casa está no carinho com que foi construída, além do conforto e praticidade”, conta. Cristais na torneira do lavabo, spa, internet sem fio, ponto de telefone, som e ar-condicionado em todos os cômodos, chopeira e lustres pensados para cada ambiente são alguns dos diferenciais do imóvel.

Veja fotos do prédio que tem o apartamento mais caro do mundo: R$ 790 milhões!

CONCENTRAÇÃO 

A Região Centro-Sul ainda concentra a maior parte dos imóveis de alto luxo, com destaque para Lourdes, Funcionários, Santo Agostinho e Belvedere, onde o preço do metro quadrado chega a R$ 14 mil e o condomínio a R$ 3 mil. O diretor da área imobiliária do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), Bráulio Franco Garcia, observa que a oferta não cresce conforme a demanda por causa da escassez de terrenos grandes nos pontos nobres. “Para um empreendimento de alto luxo é preciso terreno de grande dimensão, para unidades acima de 200m² de área interna e área completa de lazer, com quadra de tênis, squash, piscina aquecida, academia, sauna e salão de festas”, destaca.

Com isso, não param de surgir prédios sofisticados em Nova Lima. Entre eles desponta o Edifício Sol, projetado pelo arquiteto Gustavo Penna, que vai oferecer no Vale do Sereno todo o conforto de uma casa. O gestor da área comercial da EPO Engenharia, Marcelo Carvalho, diz que há quatro unidades à venda por R$ 4,5 milhões. Além de seis vagas de garagem, o morador poderá contar com elevador com identificador biométrico que levará o carro até a entrada de serviço do apartamento.

O banco europeu Haliwell Financial Group, especializado em gestão de fortunas, levantou que o setor de alto luxo pode gerar R$ 4,6 bilhões em negócios no país nos próximos cinco anos. A classe média já consome mais e melhor, a taxa de juros caiu e existe finaciamento para imóveis de alto-padrão.

Clientes muito especiais
Cerca de 50% dos milhões gastos na compra dos imóveis vão para a decoração. Torneiras de R$ 5 mil e papel de parede de R$ 3 mil o rolo são algumas das opções

Luxo também é sinônimo de exclusividade. Por isso, os clientes de alto luxo costumam gastar quase metade do valor do imóvel em reforma e decoração. Para que o morador não tenha que se preocupar com obra, a construtora RKM oferece a personalização total dos apartamentos ainda na planta. O comprador pode escolher todos os acabamentos (piso, parede, bancada, metais, louças e ferragens), quebrar paredes, desde que seja tecnicamente viável, além de solicitar projeto de iluminação, elétrica, hidráulica, forro de gesso e automação. Cada mudança é executada em uma etapa da construção.

20130510095348130901eA diretora comercial e de relacionamento do Grupo RKM, Adriana Bordalo, considera o trabalho alfaiataria da construção. “São raríssimas as construtoras que aceitam fazer e entregar os apartamentos com todas as modificações prontas e garantia. O grande desafio é oferecer não só produto de qualidade, mas atender os clientes nessa exclusividade, gerenciando tudo”, pontua. Das 53 unidades do Edifício Zaidal, no Bairro Funcionários, 38 foram personalizadas e ficaram completamente diferentes umas das outras. Adriana comenta que os únicos clientes que não fizeram modificações eram investidores ou compraram o apartamento quando o prazo já havia terminado.

Quem compra imóvel de alto luxo está sempre de olho nas tendências no mundo inteiro. “É um público que viaja muito, frequenta hotéis de luxo e essa bagagem acaba nos exigindo mais. Eles deixam a gente ousar, querem o que tem de melhor e são muito exigentes”, afirma a arquiteta especialista em decoração e obras de acabamento Izabel Souki.

Entre as opções, há torneiras de R$ 5 mil, pedras para piso de R$ 2 mil o metro quadrado, papel de parede de R$ 3 mil o rolo e tapetes que custam mais que carro popular, mas a arquiteta garante que os clientes consideram o preço, sim: só pagam se valer a pena. Além de novidade, eles querem um projeto único e exclusivo, com peça de designer conhecido, cuba de pedra esculpida para o banheiro, mobiliário projetado para o ambiente e portas pivotantes e mais largas

.20130510095518574401uAutomação é um item que também não costuma faltar, seja em cortina, som ambiente, vídeo, iluminação e ar-condicionado. Um dos clientes da RKM foi além. Ele transformou um apartamento de quatro quartos em um loft totalmente automatizado. Com um toque no celular ou no tablet ele poderá controlar a máquina de lavar roupa, a geladeira, a câmera de segurança no hall, a banheira de hidromassagem e até abrir a porta de casa para um hóspede em qualquer lugar do mundo. O quarto de empregada vai ser usado para colocar as máquinas de automação.

 

Fonte:em.com.br

 

.