segunda-feira , 23 outubro 2017
29 de abril de 2013

Auditoria confirma megarreservas da MMX em Minas

A MMX Mineração e Metálicos S/A, controlada pelo grupo EBX, do empresário Eike Batista, confirmou ao mercado, na sexta-feira, que os recursos minerários já auditados de suas reservas em Minas Gerais chegam a 3,6 bilhões de toneladas de minério de ferro, volume 23,7% maior quando comparado ao último relatório, de agosto de 2011. O aumento é todo atrelado ao ativo da Unidade Serra Azul, no Quadrilátero Ferrífero, o mais importante para a mineradora e que passa por um importante projeto de expansão.

Os novos números relativos aos recursos minerários da companhia foram aferidos pela SRK Consulting e pela Coffey Mining, duas das mais importantes certificadoras de reservas minerárias no mercado mundial. Além da Unidade Serra Azul, a certificação contemplou as minas de Pau de Vinho e Bom Sucesso, ambas no Estado.

Conforme comunicado enviado ao mercado pela MMX, na Unidade de Serra Azul, a SRK aferiu que a companhia tem recursos da ordem de 2,14 bilhões de toneladas contra 1,73 bilhão de toneladas certificadas em agosto de 2011, também 23,7% a mais. No somatório dos recursos minerais medidos e indicados para a unidade, a nova medição indica 1,82 bilhão de toneladas, 58,4% de aumento em relação ao relatório anterior.

Em nota, a mineradora afirma que “o aumento é de extrema relevância, pois credencia a Unidade de Serra Azul, principal ativo minerário e projeto prioritário para a MMX, a uma maior conversão de seus recursos minerais em reservas certificadas”. Conforme a nova certificação, os ativos de Pau de Vinho e Bom Sucesso apresentaram resultados em linha com a certificação anterior.

Ampliação – A expansão de Serra Azul está orçada em R$ 4,8 bilhões e prevê, ao final das intervenções, uma produção de 29 milhões de toneladas de minério de ferro por ano na unidade. O projeto já tem a licença de instalação (LI) e os equipamentos necessários para a ampliação estão 100% encomendados.

Os aportes fazem parte de um plano mais ousado, que prevê, nos próximos exercícios, a produção de 40 milhões de toneladas por ano. Conforme já divulgado, a estratégia de crescimento da MMX contempla a expansão em Serra Azul e o desenvolvimento de novos projetos, como Pau de Vinho e Bom Sucesso, ambos em Minas Gerais.

O minério de Serra Azul será exportado através do Superporto Sudeste, que está em construção em Itaguaí (RJ). O terminal terá capacidade para 50 milhões de toneladas por ano na primeira fase, mas a MMX vai expandir a capacidade para 100 milhões de toneladas anuais. (Por Leonardo Francia/Diário do Comércio)