quarta-feira , 23 agosto 2017
12 de abril de 2013

Casal de idosos é assassinado com crueldade em João Monlevade

1365775842casahomicidio525x252 (1)Por volta das 1h40 desta sexta-feira (12) o casal de idosos Joaquim de Souza, 62, e Geralda das Graças dos Reis, de 58 anos,  foi assassinato, a golpes de facão e com requintes de crueldade, na rua São Bernardino, 151, no bairro Promorar, em João Monlevade. O crime que pode ser passional chocou a cidade.

Segundo testemunhas, o autor do crime seria um homem conhecido como Edson e que é usuário de drogas. Ele teria entrado na residência por um telhado e começado a torturar Joaquim, que é deficiente e não tinha uma das pernas. Em seguida, Edson teria partido para cima de Geralda que ao perceber o que estava acontecendo gritou os vizinhos por socorro.

Um rapaz que preferiu não se identificar foi o primeiro a entrar na residência, segundo ele, o casal ainda estava vivo. “O Joaquim tentou me dizer algo mas acabou vomitando sangue e morrendo. Foi muita crueldade”, disse.

A testemunha também contou que o suspeito de cometer o crime esteve no bairro mais cedo tentando vender uma moto roubada, e que após o crime foi visto com a roupa suja de sangue. “Tentamos conversar com ele para despistá-lo até a chegada da polícia, mas ele fugiu”, completou.

O corpo de Joaquim foi encontrado na cama do casal. Segundo informações, ele teve os dois braços decepados e apresentava diversas perfurações pelo corpo. Já a mulher estava no sofá da residência com a cabeça perfurada e sem os olhos.

Amigos do casal contaram que Edson, que é natural de Sem Peixe, já os teriam ameaçado de morte. Ele que já havia morado de favor com as vítimas ainda não foi localizado pela Polícia. Os moradores da região onde aconteceu o crime estão revoltados com a situação e ameaçam fazer um protesto.

Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Itabira, onde passam por necrópsia. De acordo com a funerária responsável pela prestação de serviços à família, foi preciso levar os idosos para a cidade vizinha por João Monlevade não ter hoje médico legista de plantão. Ainda segundo a funerária, o revezamento de serviços de necrópsia com Itabira vem sendo realizado há algum tempo.

FONTE: Via Comercial