sábado , 19 agosto 2017
28 de abril de 2013

CRUZEIRO DESENCANTA, GOLEIA O VILLA NOVA E PÕE OS DOIS PÉS NAS FINAIS

Na melhor partida sob o comando de Marcelo Oliveira, Diego Souza e Éverton Ribeiro marcam dois gols cada em pleno Alçapão do Bonfim

O Cruzeiro não tomou conhecimento do Villa Nova e do “Alçapão do Bonfim”, o temido estádio Castor Cifuentes, em Nova Lima, e venceu o adversário por convincentes 4 a 0, nesta que talvez tenha sido a melhor partida da equipe comandada por Marcelo Oliveira na temporada. Os gols foram marcados por Diego Souza e Éverton Ribeiro, duas vezes cada um. A superioridade do Cruzeiro foi enorme. Do começo ao fim, a Raposa pressionou o Leão e sufocou o adversário no campo de defesa, não sendo ameaçado de perder em nenhum momento da partida.

O segundo jogo das semifinais será na quarta-feira, dia 8 de maio, às 20h30m (de Brasília), no Mineirão. O Cruzeiro pode perder por até quatro gols de diferença (tem vantagem graças à melhor campanha), que ainda assim estará na final, contra o vencedor da série entre Atlético-MG e Tombense. O time da capital venceu o primeiro jogo por 2 a 0, em Tombos, e agora decide no Independência. Antes, porém, o Cruzeiro vai a Volta Redonda enfrentar o Resende, às 21h50m desta quarta-feira. O jogo será válido pela segunda fase da Copa do Brasil.

Show estrelado

Villa Nova e Cruzeiro ignoraram as más condições do gramado do Castor Cifuentes e fizeram um jogo muito bom. A vantagem de jogar por dois empates ou por vitória e derrota pela mesma diferença de gols não fez com que o time celeste esperasse o Villa tomar a iniciativa do ataque. Muito pelo contrário. A Raposa partiu para cima do Leão desde os minutos iniciais, com um volume de jogo impressionante.

Tanto que o Cruzeiro praticamente assegurou sua vaga na final do Campeonato Mineiro já no primeiro tempo. A pressão foi grande desde o começo, com duas bolas na trave, uma delas pelo camisa 10 Diego Souza, em cobrança de falta. Mas foi outro meia, Éverton Ribeiro, que abriu o marcador, também de falta, aos 20 minutos, no canto direito do goleiro William Nobre. Começava o suplício do Villa Nova.

Dois minutos depois, após insistir bastante, Diego Souza guardou o dele. Da entrada da área, em um belo chute cruzado, a bola foi para o fundo das redes, sem chances para o goleiro do Leão. E a inspiração do jogador continuava. Foi dele o terceiro gol do Cruzeiro, aos 36 minutos, após boa troca de passes no meio e um chute até despretensioso, mas que fez com que o goleiro do Villa sequer se mexesse.

Praticamente todos os jogadores do Cruzeiro estavam bem em campo. Até o goleiro Fábio, mas pelo fato de ter sido um mero espectador do show que seus companheiros deram na etapa final.

Vitória consumada

Mal a bola rolou para o segundo tempo, e Fábio finalmente trabalhou. O goleiro do Cruzeiro fez uma defesa sensacional em uma cabeçada à queima-roupa de Heitor. Mas foi só isso, já que o time celeste continuou o massacre iniciado nos primeiros 45 minutos. Em tarde inspirada, Diego Souza e Éverton Ribeiro seguiam atormentando a defesa do Villa. Aos 16 minutos, o camisa 17 fez o segundo gol dele. Um golaço, por sinal. Ele recebeu do colega Diego Souza, passou por dois marcadores e bateu forte, sob o corpo do goleiro do Leão do Bonfim.

Após o quarto gol, o Cruzeiro diminuiu o ritmo, até porque o Villa Nova já estava completamente batido em campo. Marcelo Oliveira mandou Tinga, Ricardo Goulart e Vinícius Araújo para o jogo. O meia Tchô ainda tentou algumas jogadas e o gol de honra do Villa, mas o placar permaneceu inalterado até o final. Já nos acréscimos, Marco Tiago, que já havia levado um cartão amarelo, foi novamente advertido e expulso da partida.

diegosouza_evertonribeiro_dagoberto_ae_paulofonsecaGloboesporte.com

Foto: Paulo Fonseca