segunda-feira , 23 outubro 2017
16 de abril de 2013

CSA muda de ideia e vai denunciar o Cruzeiro por escalação de Tinga

Vice-jurídico do clube alagoano diz que jogador atuou de forma irregular

O “Caso Tinga” ganhou mais um capítulo na manhã desta terça-feira (16). Depois de publicar uma nota oficial no site alegando que o meio-campista do Cruzeiro havia atuado de forma regular no primeiro jogo da Copa do Brasil, a diretoria do CSA parece ter voltado atrás da decisão e, através do vice-presidente jurídico, Ricardo Omena, pretende ingressar com uma ação no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

– O CSA entende que ele (Tinga) atuou de forma irregular e estamos entrando com uma ação ainda essa semana. O prazo (para acionar a justiça) é de 60 dias, mas não podemos esperar passar as fases de um campeonato mata-mata, então, estamos entrando de imediato.

Omena acrescentou, ainda, que o Azulão toma o Regulamento Geral das Competições como base jurídica para mover a ação.

– Está tudo embasado, o Regulamento Geral das Competições diz claramente que, independentemente do resultado do TJD, ele (o atleta) tem de cumprir a ( suspensão) automática.

A declaração do vice-jurídico se enquadra no Artigo 58 do Regulamento Geral das Competições. A cláusula diz que, se o atleta for expulso de campo ou do banco de reservas ficará automaticamente impedido de participar da partida subsequente, independentemente de decisão da Justiça Desportiva no julgamento da infração disciplinar.

Com Tinga em campo, o Cruzeiro bateu o CSA por 3 a 0 no Estádio Rei Pelé e eliminou o jogo da volta no Mineirão, carimbando o passaporte da Raposa para a segunda fase da Copa do Brasil.

Se for punido pelo STJD, o Cruzeiro será eliminado da competição nacional e o CSA passará de fase.

Entenda o caso

Na última rodada do Campeonato Brasileiro da temporada passada, Tinga foi expulso na derrota do Cruzeiro por 3 a 2 para o arquirrival Atlético-MG, disputada no dia 02 de dezembro. Cinco dias depois, o jogador foi julgado pelo STJD, recebendo apenas uma advertência.

Por: Globoesporte.com