sexta-feira , 24 novembro 2017
19 de Maio de 2013

Desconforto e insegurança começam antes da viagem

BERNARDO MIRANDA

Os problemas enfrentados pelos usuários de ônibus na região metropolitana de Belo Horizonte começam antes do embarque nos veículos. Se já não bastassem os coletivos lotados e a demora nos congestionamentos, os passageiros sofrem, também, na espera nos pontos, em locais sem bancos, sem proteção contra sol ou chuva e, muitas vezes, rodeados de mato, lixo e lama.

Essa é a realidade, por exemplo, dos passageiros que esperam os ônibus na BR–040, na saída para Brasília. Na altura do Bairro Califórnia, na região Noroeste de Belo Horizonte, há somente um toldo com quatro bancos para atender a uma demanda que chega a até 30 passageiros no horário de pico. O pior é que, mesmo quando o local está vazio, o toldo não é utilizado porque fica longe da margem da rodovia. Se o passageiro sentar no banco, não consegue ver os ônibus que estão se aproximando a tempo de sinalizar para o motorista.
Além disso, não há pavimentação onde as pessoas esperam os veículos. “Quando chove, passa uma enxurrada aqui e não tem como fugir. Aí vira uma lama só”, conta o operador de retroescavadeira Júnior Rodrigues, 33. A cozinheira Gilde Pereira, 41, pega ônibus no local há 17 anos e diz que a situação sempre foi a mesma. Para ela, o pior é a falta de segurança. “Quando fica de noite, aumenta o risco de assaltos. Ladrão aqui se esconde e foge fácil”, diz

A situação se repete nos demais pontos da rodovia. Na altura da Ceasa, já em Contagem, na região metropolitana, a situação é ainda pior. O ponto fica à beira da rodovia, com mato em volta, sem toldo, nem bancos, e os passageiros improvisam caixotes de madeira para sentar. “Esse mato serve de esconderijo para bandidos. É perigoso, principalmente, para quem é mulher, que está vulnerável a abusos”, reclama a auxiliar administrativa, Mara Cardoso, 26.
O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas (DER-MG), responsável pelos pontos, diz que já encaminhou ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), responsável pela rodovia, um levantamento das condições e necessidades de obras próximas aos pontos de ônibus na BR–040, entre Belo Horizonte e Esmeraldas, na região metropolitana da capital.

 Fonte : O Tempo