sexta-feira , 24 novembro 2017
13 de Maio de 2013

Do sedentarismo à maratona: veja dicas de como avançar no mundo das corridas

Atletas e especialistas falam das etapas de preparação até chegar à primeira maratona

Os corredores de rua se multiplicam pelas vias mais disputadas de Belo Horizonte. No íntimo de cada um mora um objetivo, seja ele de concluir uma prova em menor tempo, perder peso ou simplesmente manter uma rotina saudável de exercícios. Não importa qual seja o desafio estabelecido, é sempre importante ter um acompanhamento profissional para orientar o melhor ritmo, frequência cardíaca e progresso a serem desenvolvidos. Avaliação médica, reforço muscular e um bom programa nutricional ajudam a evitar sustos com lesões inesperadas e ainda auxiliam na melhora do desempenho e perda de peso. O Bem Viver ouviu atletas amadores e especialistas sobre a rotina aconselhada para cada uma das etapas de preparação, desde a inicial, para quem está lutando para abandonar o sedentarismo, até o que, para muitos, pode ser uma consagração: a primeira maratona.

5 quilômetros

20130513102514258888eEder Divino Marques, engenheiro, 33 anos
Empenhado em deixar o sedentarismo para trás, Eder resolveu dar os primeiros passos rumo aos cinco quilômetros no início deste ano. Juntamente com as caminhadas de 30 minutos três vezes ao longo da semana, e uma hora aos sábados, ele também aderiu a um programa nutricional. “As caminhadas duraram cerca de três semanas para depois começar a subir o ritmo. No início a gente fica querendo correr logo, mas é preciso ter disciplina para superar cada etapa de uma vez”, aconselha. Com a planilha de treinos na mão, ele começou a intercalar trotes de cinco e 10 minutos entre as caminhadas. “Foi gradativo até que na minha primeira prova, em abril, consegui correr os cinco quilômetros em 37 minutos.” Agora, ele luta para baixar o tempo para finalizar essa fase e partir para os 10 quilômetros. 

Especialista: Dependendo do histórico de atividades físicas e das condições de saúde de quem está começando, os cinco quilômetros podem ser alcançados em um intervalo de oito a 12 semanas. “Essa é a recomendação”, lembra o coordenador técnico da Run&Fun, Paulo Henrique Santos. Para os mais sedentários, a caminhada entra como umaferramenta para melhorar o condicionamento. “Depois da segunda semana, já é possível intercalar. Correr leve 400 metros e caminhar 600, por exemplo”, observa Paulo. O ideal é atingir distâncias mais longas que a prova, como oito quilômetros por exemplo, para evitar caminhadas no percurso

10 quilômetros

20130513102638306561uNa primeira prova de 10 quilômetros, Débora já atingiu a marca de 47 minutos e alcançou a nona colocação geral na categoria feminina. “Treino duas vezes na semana. Para passar dos cinco para os 10, fui aumentando a distância aos poucos. Ainda tive que treinar subidas e tiros de quilômetro a quilômetro para melhorar a resistência”, conta. Foi necessário um ano de treinamento até atingir a marca de 10 quilômetros. Agora, ela realiza corridas de nove quilômetros a cada novo treino para manter o ritmo. “Cheguei a fazer os longões (corridas com distâncias mais longas mantendo frequência cardíaca mais baixa) para ganhar resistência. O máximo que alcancei foram 14 quilômetros”, lembra.

Especialista: É preciso conseguir correr pelo menos uma hora sem parar para almejar os 10 quilômetros. “Aumentar a distância em pelo menos 5% a cada semana é uma boa forma de progredir”, observa o coordenador técnico da Run&Fun, Paulo Henrique Santos. Nessa etapa, é fundamental iniciar um exercício muscular paralelo para evitar lesões. “É melhor fazer musculação duas vezes por semana e corrida três, do que correr cinco vezes”, orienta Paulo.

Meia maratona (21 quilômetros

Cláudio Morais Bueno, médico, 42 anos
A uma semana da sua primeira meia maratona, Cláudio começa a reduzir o ritmo para poupar a musculatura. “O meu

20130513102822878377aúltimo longão foi há 15 dias da prova. Dei a volta na Lagoa da Pampulha”, conta Cláudio. Os treinos ocorrem duas vezes por semana e ainda são complementados pela musculação duas vezes e acompanhamento regular de nutricionista. “É fundamental proteger as articulações por meio de reforço muscular. Dessa forma evitam-se lesões”, observa. Atualmente, Cláudio corre cerca de 30 quilômetros por semana, entre treinos de seis e 18. “O importante é progredir aos poucos e acompanhar a frequência cardíaca.”

Especialista: Os longões nessa etapa têm que ocorrer pelo menos uma vez por semana, aconselha o coordenador de esportes recreativos e corrida de rua do Minas Tênis, Ormy Ordoni Vilas Boas. “Para a meia maratona, fazemos longões de 15 a 18 quilômetros. Não é necessário chegar aos 21”, lembra. O ideal para quem está prestes a enfrentar uma meia maratona é correr uma média de 50 quilômetros por semana entre os longões e treinos intervalados. “São exatamente o contrário do longão, que tem percurso maior, mas é realizado com frequência mais baixa e tempo mais longo”, explica. Nesse caso, o atleta amador deve intercalar corridas com frequência cardíaca mais alta e pequenos pausas para descanso, baixando a frequência. Para quem já corre 10 quilômetros, é possível alcançar a meia maratona em cerca de três meses de preparação.

Maratona (42 quilômetros)

20130513103057273020aFlávia do Valle Oliveira Andrea, servidora pública, 51 anos
Corredora há 20 anos, Flávia se prepara para a segunda maratona de sua vida. “Estou no auge da preparação para a maratona do Rio, em julho, e chego a correr 88 quilômetros por semana”, calcula. Ela corre em média 15 quilômetros por dia, sem contar os longões nos fins de semana, que podem chegar a duas voltas na Lagoa da Pampulha de uma vez só. “Se a quilometragem é menor, corro mais rápido; se é maior, diminuo a frequência para treinar resistência”, conta.

Especialista: Para se preparar para uma maratona, não é preciso chegar aos 42 quilômetros no treinamento, assim como ocorre na meia maratona. O ideal é ficar entre 34 e 36, aconselha Ormy Ordoni Vilas Boas, coordenador de esportes recreativos e corrida de rua do Minas Tênis. O restante, o atleta consegue finalizar movido pela vontade e determinação, mesmo que já esteja esgotado. Para quem já corre a meia, a preparação pode demorar entre quatro e cinco meses se seguida à risca e intercalada com musculação. “Se for uma pessoa crua, vai demorar pelo menos dois anos. Isso para um amador”, lembra Ormy. Os longões devem ser finalizados pelo menos duas semanas antes da prova, para dar descanso à musculatura.

Fonte em.com.br