sábado , 19 agosto 2017
15 de abril de 2013

Ecclestone dá ultimato e ameaça tirar Interlagos da F-1 já em 2014: ‘Chega’

Em entrevista ao ‘O Estado de S. Paulo’, chefão da categoria cobra reforma
urgente: ‘Se não estiver em condição, não iremos em 2014 a São Paulo’

A paciência de Bernie Ecclestone, dono dos direitos comerciais da Fórmula 1, com o Autódromo de Interlagos parece ter chegado ao limite. Em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, o chefão da categoria deu um ultimato às autoridades paulistas com relação às obras prometidas no circuito. Com palavras duras, ele ameaçou tirar a pista – que sediou 31 GPs e coroou diversos campeões mundiais – do calendário do principal campeonato de automobilismo do planeta já na próxima temporada:

– As promessas de reforma de Interlagos não foram cumpridas. Agora chega. Não fosse a relação antiga e os sentimentos que me ligam ao Brasil, a Fórmula 1 já não estava mais lá. Este ano não espero mudanças. Mas se o autódromo não estiver na condição que a Fórmula 1 necessita em 2014 não iremos a São Paulo – bradou em sua passagem por Xangai, palco doGP da China deste fim de semana, vencido por Fernando Alonso, da Ferrari.

Responsável por levar a categoria máxima do automobilismo mundial ao Brasil no início da década de 1970, Ecclestone reclama que o autódromo paulista não atende mais os padrões da F-1 atual. O dirigente exige a execução de um projeto elaborado pela empresa SPTuris durante a gestão do ex-prefeito Gilberto Kassab, cuja principal mudança é a transferência do paddock para a reta oposta, onde há mais espaço para as instalações. A nova administração, de Fernando Haddad, ainda não deu garantias de execução das obras, de orçamento estipulado em R$ 120 milhões.

– O traçado é um dos melhores do mundo, com certeza. Já a estrutura à disposição do público e das equipes é a pior do calendário. Não podemos mais cobrar nada dos outros autódromos com Interlagos ano após ano mantendo-se como está. Os demais administradores sabem o que é Interlagos, isso nos desmoraliza. Nem em pistas de rua, como Mônaco, Melbourne, Montreal, enfrentamos essas dificuldades.

Ecclestone exige o cumprimento das obras prometidas e garante que, caso não receba garantias da execução da reforma até o fechamento do calendário provisório, divulgado normalmente em agosto, não dará segunda chance ao autódromo.

– Se até antes da definição do calendário não tivermos garantias de o autódromo estar como exige a Fórmula 1, não vamos sequer usar o tradicional asterisco de sujeito a melhorias no autódromo. Temos de saber já antes, de São Paulo ou outra cidade do Brasil.

Santa Catarina e Rio de Janeiro como opções

Mas uma possível saída da pista paulista não significa que o Brasil fique fora do calendário da Fórmula 1. Ecclestone estuda a realização de GPs em outros dois estados: Santa Catarina e Rio de Janeiro. No fim de 2012, o manda-chuva da categoria esteve na cidade de Penha (SC) para conhecer o projeto de um circuito integrado ao Parque Beto Carreiro World, cujo traçado foi concebido por Herman Tilke, responsável pelo desenho de todos as  novas pistas da F-1. É em um kartódromo no complexo do parque que é disputado atualmente o Kart das Estrelas.

ch3_7141c

Autoridades do Rio de Janeiro também entraram em contato com o dirigente. Curiosamente, a cidade acabou de demolir o Autódromo de Jacarepaguá para dar lugar ao Parque Olímpico dos Jogos de 2014 e o projeto de um novo circuito no bairro de Deodoro, que era para ter sido construído antes do fechamento da pista antiga, sequer saiu do papel.

– Estive antes do natal em Santa Catarina e confesso ter ficado impressionado com a disposição daquela gente em levar adiante o projeto de nos receber lá. Acredito que se der o sinal verde eles iniciam imediatamente as obras. E o Rio de Janeiro também me procurou, mas lá seria um pouco mais difícil, embora, claro, tudo seja possível.

Interlagos, palco de seis decisões de título

Desde que passou a ser uma das últimas etapas do calendário, em 2004, Interlagos foi palco de seis decisões de título. Dentre os pilotos que sagraram-se campeões no circuito paulista estão: Fernando Alonso (2004 e 2005), Kimi Raikkonen (2007), Lewis Hamilton (2008), Jenson Button (2009) e Sebastian Vettel (2012).

Brasil já sediou 41 GPs, 31 deles em Interlagos

O Brasil já foi palco de 41 GPs de Fórmula 1. O primeiro deles, foi realizado em 1972 na pista paulista, mas tratou-se de uma corrida de teste que não contou pontos para o campeonato. A vitória foi do argentino Carlos Reutemann. A partir do ano seguinte, a prova passou a valer oficialmente. Atual sede, Interlagos recebeu 31 GPs, enquanto Jacarepaguá realizou dez corridas de 1978 a 1989. O maior vencedor do GP do Brasil é o francês Alain Prost, com cinco triunfos no RJ. Quem mais subiu ao alto do pódio em SP foi o alemão Michael Schumacher. Cinco pilotos brasileiros já venceram em sua terra natal: Emerson Fittipaldi (1973 e  74), José Carlos Pace (75), Nelson Piquet (83 e 86), Ayrton Senna (91 e 93) e Felipe Massa (2006 e 08).