sexta-feira , 24 novembro 2017
16 de Maio de 2013

Ex-policiais militares e porteiro da Câmara Municipal de BH são presos com 10 kg de cocaína

O trio faz parte de uma quadrilha que vendia drogas com alto teor de pureza. Dois veículos foram apreendidos com o grupo que teria ligação com Roni Peixoto

 Os criminosos estavam com cocaína considerada pela Polícia Civil como a mais pura do mercado

Uma operação da Polícia Civil terminou com três homens presos com 10 quilos de cocaína com grande pureza em Belo Horizonte. Entre os detidos estão dois ex-policiais militares e um porteiro da Câmara Municipal. O grupo começou a ser investigado há três meses pelo Departamento de Investigação Antidrogas. As investigações apontaram que um dos integrantes tinha ligações com o traficante Roni Peixoto, apontado como braço direito de Fernandinho Beira-Mar. 

As investigações sobre o grupo começaram em março deste ano, depois que a polícia recebeu informações de que Maurício dos Santos Barbosa, de 34 anos, o Cabeção, estava comprando e vendendo cocaína com alto teor de pureza, conhecida como “escama de peixe”. Para tentar enganar as autoridades, o homem trabalhava como porteiro terceirizado na Câmara Municipal de Belo Horizonte. Segundo a Polícia Civil, não ficou verificado nenhum indício que o tráfico de drogas acontecia no local. 

Na última segunda-feira, os investigadores receberam a informação de que Maurício iria receber um carregamento de drogas na Praça da Madona, no Bairro Céu Azul, em Venda Nova. Os policiais se posicionaram em pontos estratégicos e ficaram observando a entrega do entorpecente. Durante a ação, dois homens estacionaram um Ford Ka, placa GSB-3123, nas imediações da praça e entregaram as chaves do veículo para Maurício. Em seguida, a dupla entrou em um Tempra, placa KJG-7564. 

20130516171855197698uAntes mesmo de deixarem o local, os policiais abordaram os suspeitos. Dentro do Ford Ka, foram encontrados dez tabletes prensados de cocaína. Os homens que deixaram a droga no veículo foram identificados como Heli Ferreira da Silva, de 43 anos, e Everaldo Alves Ferreira. Para a polícia, prisão dos dois policiais foi vista como surpresa. “Sabíamos que o Cabeção iria receber um grande carregamento e por isso o acompanhamos. Mas não esperávamos que fossem essas pessoas”, explica o delegado Vladimir Soares

As investigações apontaram que Heli tinha ligações com o traficante Roni Peixoto. Ele já tinha sido preso em 2006 com aproximadamente 500 quilos de maconha. Já Everaldo, que apresentou documentos falsos na abordagem, foi detido em 2008 com drogas. “A experiência que eles tiveram no trabalho policial poderia facilitar a forma deles de agirem, uma vez que eles sabem como funcionam as operações da polícia”, diz o delegado. 

A droga encontrada com os criminosos tinham um alto poder de pureza. Segundo a Polícia Civil, a cada um quilo da cocaína, os traficantes poderiam transformá-lo em 10 quilos. As investigações vão continuar para tentar identificar a origem do entorpecente. Há a suspeita que ele tenha sido trazido o Mato Grosso. 

Os três homens foram presos em flagrante. Os dois veículos usados na entrega da cocaína também foram apreendidos pela polícia.

Fonte:em.com.br