quarta-feira , 23 agosto 2017
22 de abril de 2013

GALO VIRA PARA CIMA DO VILLA NOVA E VENCE A PRIMEIRA NO NOVO MINEIRÃO

Com segundo lugar garantido antes de entrar em campo, Atlético-MG pega o Tombense nas semifinaiss. Apesar da derrota, adversário garante a vaga

Na tabela, o jogo não valia quase para o Atlético-MG. A equipe já havia garantido a segunda colocação e não tinha chance de terminar com a melhor campanha da fase de classificação do Campeonato Mineiro. Mas um resultado positivo era importante para elevar os ânimos após duas derrotas consecutivas, para Caldense e São Paulo, o que não ocorria desde agosto de 2011. Para o Villa Nova, que entrou em campo como terceiro colocado, a partida significava a confirmação da passagem às semifinais da competição. No fim, o triunfo do Galo por 2 a 1 serviu para os dois times.

Com o resultado, o Atlético-MG enfrentará o Tombense nas semifinais – o adversário assegurou vaga ao derrotar o América-MG por 2 a 0, terminando na terceira posição. O Villa Nova, que só deixaria o G-4 diante de uma improvável goleada do Tupi sobre o Cruzeiro, caiu para o quarto lugar, e o adversário mudou: será a própria Raposa, que venceu por 2 a 0 seu jogo neste domingo.

Os times da capital têm a vantagem de jogar por dois empates ou por derrota e vitória com a mesma diferença de gols. As datas e horários dos confrontos ainda serão definidas pela Federação Mineira de Futebol (FMF).ronaldinho-gaucho-comemora-com-leonardo-silva-o-gol-da-virada-na-vitoria-do-altetico-mg-sobre-o-fluminense-no-independencia-1350851850841_300x200

O jogo marcou a volta do Atlético-MG ao Mineirão. O Galo foi obrigado a deixar o Independência, já que o América-MG, que tem a preferência de jogar no estádio do Horto, enfrentou o Tombense no mesmo horário. E a torcida alvinegra parece ter gostado do retorno ao maior estádio de Minas: 47.625 pessoas pagaram ingressos para ver o jogo e registraram o segundo maior público do estádio, desde a reinauguração, ficando atrás apenas do clássico de reabertura, que teve pouco mais de 52 mil pagantes.

A festa foi imensa e mostrou a fidelidade do torcedor atleticano, que se assustou com a derrota para o São Paulo por 2 a 0, na última rodada do Grupo 3 da Taça Libertadores. Sem apresentar um futebol de grande qualidade, como em outras partidas, o Galo teve muitas dificuldades diante da equipe do Villa Nova, comandada por Alexandre Barroso.

Jogo movimentado

A partida começou bastante disputada. As duas equipes se estudavam e brigavam por cada palmo do gramado, e a torcida do Atlético-MG foi a primeira a lamentar. Aos 17 minutos, o baixinho Max Carrasco subiu mais que os gigantes zagueiros do Galo e cabeceou para o gol, sem chances para Victor. A pequena torcida do Villa Nova fez a festa no Mineirão.

O gol deixou o time atleticano nervoso. Mas Ronaldinho Gaúcho, que era dúvida para o jogo até minutos antes de a bola rolar, tratou de tranquilizar a torcida, que já apresentava certa impaciência. Em boa descida para o ataque, aos 31, Luan recebeu livre pela esquerda e cruzou rasteiro. A bola passou por toda a defesa do Leão do Bonfim, e R10 apareceu como elemento surpresa para mandar para as redes.

O placar fez justiça ao futebol apresentado. Enquanto o Villa Nova tinha bom poder de marcação e se arriscava apenas nos contra-ataques, o Galo sofria com as ausências de Diego Tardelli e Bernard, que ainda se recuperam de lesões.

Virada do Galo

Com Rosinei no lugar de Leandro Donizete, Cuca deu mais mobilidade e saída de bola ao meio-campo alvinegro. A mudança surtiu efeito, e o Galo passou a mandar na partida, desperdiçando boas descidas ao ataque. O técnico do Villa Nova, Alexandre Barroso, por sua vez, orientava o volante Marcelo Rosa quase a todo momento. O jogador do Leão do Bonfim era a verdadeira sombra de R10 em campo, o que dificultou as ações atleticanas.

A torcida do Galo, impaciente com o empate em casa, chegou a pedir raça após uma sequência de passes errados. Foi a deia para Cuca colocar o jovem Leleu na vaga de Guilherme, na tentativa de dar mais velocidade ao time. E tirou Jô para a entrada de Alecsandro.

O gol da virada do Galo veio aos 38, após cobrança de lateral de Marcos Rocha. A bola sobrou livre para Rosinei, no meio da área, soltar a bomba no canto direito de William Nobre. Festa do torcedor atleticano no Mineirão. O Villa Nova ainda tentou buscar o ataque, mas a defesa do Galo deu conta do recado e segurou a vitória.

FONTE: Globoesporte.com

Foto: Bruno Cantini/ Paulo Fonseca