segunda-feira , 23 outubro 2017
17 de abril de 2015

Itabira se Une Contra as Demissões na Vale e nas Terceirizadas

IMG_6246

 

 

 

 

 

 

 

Manifestação na portaria da VALE na Mina de Conceição, hoje 17/04/2015.

Neste ano, nas minas de Itabira, já foram demitidos 2 mil terceirizados e mais de 100 trabalhadores diretos da Vale.

Nos locais de trabalho predomina o medo, angustia e a intranquilidade, empregados procurando por médicos, não suportando a pressão do momento.

A acentuada  queda nas vendas do comércio já é uma gravíssima consequência das demissões em nossa cidade.

Diante desse quadro sombrio, os seguimentos organizados da cidade se uniram ao SINDICATO METABASE na luta em defesa do emprego e o desenvolvimento econômico e social do município.

Nos últimos dez anos a VALE lucrou R$ 202 bilhões e grande parte dessa cifra bilionária foi obtida à custa da exploração do minério de ferro de Itabira – somente em 2014 foram extraídas 35,489 milhões de toneladas.

IMG_6392A Vale nasceu aqui e graças à exploração do nosso solo transformou-se na maior produtora de minério de ferro do mundo.

Onde está, portanto, a responsabilidade social da empresa que a mais de 72  anos se enriqueceu explorando o minério da cidade e agora quer jogar a conta da crise nas costas dos nossos trabalhadores e da nossa cidade, prejudicando a nossa economia?

 

O  movimento REAGE ITABIRA exige  que a VALE respeite Itabira e, sobretudo, os trabalhadores, responsáveis diretos pela geração de tamanha riqueza.

BASTA DE DEMISSÕES!

ITABIRA NÃO MERECE ISTO!

Veja o movimento pacífico REAGE ITABIRA, hoje 17/04, na entrada da portaria da MINA CONCEIÇÃO , movimento esse que será feito também nas entradas das minas CAUÊ  E PERIQUITO.

Participam do movimento Reage Itabira: Câmara de Dirigentes Logistas (CDL), Diocese de Itabira e Coronel Fabriciano, Sindicato dos Trabalhadores e servidores Públicos Municipais de Itabira SINTSEPMI, Sindicato dos Empregados do Comércio de Itabira e Região,Sindicato da Construção Civil, Associação dos Aposentados da Vale (APOSVALE), Sindicato dos Rodoviários (SINTTROITA), Associação dos Aposentados e Viúvas de Itabira, Câmara Municipal de Itabira, Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-Ute), Sindicato dos Trabalhadores em Montagens Industriais de Minas Gerais(SITRAMONTI), Academia Itabirana de Letras, Igreja Batista Manancial de Itabira e Sindicato Metabase de Itabira e Região.

ENQUANTO PAIS DE FAMÍLIAS SÃO DEMITIDOS ACIONISTAS EMBOLSAM BILHÕES

Valorizar quem faz a nossa empresa“. Esse é um dos “valores” que a Vale gosta de destacar  em sua propaganda institucional.

Porém, na prática não é bem assim.

Bastou o preço do minério de ferro e as vendas caírem no mercado internacional para ela imediatamente demitir seu patrimônio maior  que são os trabalhadores, justamente aqueles  que “fazem a empresa” e que, no ano passado, foram responsáveis por bater mais um vez um recorde histórico, elevando a produção em 7%.

A Vale alega que as demissões são por causa da crise, mesmo tendo lucro de R$ 10 bilhões em 2014.

É a maneira cômoda e cruel para escapar de sua responsabilidade com o país e as cidades onde mantém suas atividades mineradoras.

No entanto, em relação à remuneração  dos acionistas não há menor sinal de crise.

Ao mesmo tempo em  que cria um clima de apreensão e medo entre os trabalhadores, a VALE, pomposamente anuncia que pagará, dia 30 de abril, a primeira parcela da remuneração mínima no valor de R$ 3,101 bilhões

Trata-se de remuneração mínima!

No final do ano os acionistas receberão a segunda parcela, também  na casa de bilhões.

Isso mostra o quanto as demissões são necessárias.

A VALE tem muita reserva e não é justo jogar na rua pais de famílias causando uma crise social em Itabira.

NÃO ÀS DEMISSÕES!         JUNTE-SE A  NÓS!      ITABIRA NÃO MERECE ISTO!

Veja galeria de Fotos

 Por Itafatos