Home / Destaque / Lucro da Vale cresce 32% em 2017, para R$ 17,6 bilhões

Lucro da Vale cresce 32% em 2017, para R$ 17,6 bilhões

Trata-se do melhor resultado anual desde 2011.

A Vale registrou lucro líquido de R$ 17,6 bilhões em 2017, de acordo com balanço divulgado nesta terça-feira (27) pela companhia. O resultado representa uma alta de 32,4% frente ao ano anterior, quando a mineradora teve ganhos de R$ 13,3 bilhões. Trata-se do melhor resultado anual desde 2011. Veja gráfico abaixo

No resultado em dólares, a Vale reportou lucro líquido de US$ 5,5 bilhões em 2017, US$ 1,5 bilhão superior ao de 2016.

 

Últimos resultados anuais da Vale em R$ bilhões

Em comunicado, a Vale atribuiu o aumento de R$ 4,3 bilhões no lucro anual aos maiores preços internacionais do minério e ao menor impacto de reavaliação de preços de ativos de operações descontinuadas (impairment).

“O desempenho da Vale em 2017 foi robusto, com destaque para a expressiva geração de caixa, impulsionada por melhorias na realização de preços, por rigorosa disciplina na alocação de capital e melhores resultados obtidos nos segmentos de metais básicos e carvão”, destacou a empresa.

A alta do lucro da mineradora ocorre em meio a uma melhora na precificação do minério de ferro no mercado internacional, cujos preços internacionais chegaram a subir mais do que 40% no ano passado.

Resultado do 4º trimestre

No 4º trimestre, a Vale registrou lucro líquido de R$ 2,533 bilhões, alta de 61% ante o mesmo período do ano anterior. Na comparação com o 3º trimestre, entretanto, o lucro caiu 64,5%, em meio a preços mais baixos do seu principal produto.

Os preços realizados de finos de minério de ferro recuaram para US$ 63,10 por tonelada no quarto trimestre, ante US$ 67,17 no terceiro trimestre e US$ 69,40 no mesmo período do ano anterior.

Já a receita líquida operacional no quarto trimestre somou R$ 29,8 bilhões, queda de 2,7% na comparação anual.

Produção recorde

Segundo divulgou a Vale no começo do mês, a produção de minério de ferro da companhia atingiu um recorde no ano passado de 366,5 milhões de toneladas, alta de 5,1% ante 2016, enquanto as vendas sofreram uma leve queda, diante da estratégia da empresa de elevar margens reduzindo a oferta de menor qualidade.

Já os investimentos alcançaram o menor nível desde 2005, totalizando US$ 3,8 bilhões em 2017, devido principalmente, segundo a Vale, à conclusão do projeto de mina e usina do S11D.

Redução da dívida

No final de 2017, a dívida líquida da Vale (empréstimos e financiamentos menos o caixa) alcançou US$ 18,1 bilhões, o que representou uma redução de US$ 6,9 bilhões quando comparada à dívida de US$ 25 bilhões em dezembro de 2016.

“Em 2018, o foco será continuar desalavancando a companhia, melhorar a performance de seus ativos e aprimorar ainda mais a governança corporativa, com o objetivo final de gerar mais retorno aos acionistas”, destacou a Vale no balanço.

Pagamento de R$ 4,7 bilhões dividendos

A Vale informou também que distribuirá R$ 4,7 bilhões (US$ 1,5 bilhão) em dividendos aos acionistas sob a forma de juros sobre o capital próprio referentes ao ano fiscal de 2016. O conselho da companhia aprovou distribuição de R$ 2,2 bilhões em dezembro e de um complemento de R$ 2,5 bilhões, que serão pagos em março.

G1.com

Scroll To Top