sábado , 19 agosto 2017
10 de abril de 2013

No Pacaembu, Timão e San José se reencontram após tragédia de Oruro

Com bolivianos eliminados, Timão quer confirmar liderança do Grupo 5 nesta quarta. Fora de campo, pouco avanço após a morte do garoto Kevin

guerrero02_ap_15O garoto Kevin Douglas Beltrán Espada não poderá acompanhar mais um jogo do seu amado San José contra o atual campeão do mundo. Vítima de um sinalizador vindo da torcida do Corinthians naquele fatídico 20 de fevereiro, em Oruro, Kevin só queria ver seu time em ação diante de uma das potências do futebol sul-americano. Com a lembrança da vida que se foi, Corinthians e San José se reencontram nesta quarta-feira, às 22h (horário de Brasília), no Pacaembu, com pouco a resolver em campo, e muito a se esclarecer fora dele.

O Timão já está classificado para a segunda fase da Taça Libertadores. O San José já foi eliminado. A única definição que vale para os corintianos é a da liderança do Grupo 5, que disputa com o Tijuana, também classificado e com o mesmo número de pontos. A ponta da tabela vale a vantagem de decidir em casa nas oitavas de final. A equipe boliviana tem apenas cinco pontos e está fora da disputa.

Fora de campo, pouco avanço desde aquele 20 de fevereiro. Os 12 corintianos presos após a morte de Kevin continuam na Penitenciária de San Pedro, sem saber quando serão julgados ou libertados. A investigação caminha a passos de tartaruga, e a justiça boliviana não dá indícios de que vai conceder a prisão domiciliar aos corintianos.

O Corinthians procura manter distanciamento da história, mas até o presidente Mário Gobbi já tentou interceder a favor dos torcedores. A CBF entrou em cena com um amistoso contra a Bolívia, que teria parte da renda destinada à família de Kevin. Após a partida, realizada no último sábado, não houve definição a respeito do dinheiro arrecadado.

A tendência é que os 12 fiquem presos até o fim das investigações, com prazo máximo de seis meses. Antes do duelo desta quarta-feira, a Gaviões da Fiel deve fazer uma manifestação pela liberdade dos torcedores. Uma homenagem ao garoto Kevin chegou a ser cogitada, mas foi logo descartada. Em Cochabamba, os pais do menino não poderão mais acompanhar a paixão do filho pelo humilde clube de Oruro.

O duelo entre Corinthians e San José terá arbitragem do argentino Mauro Vigliano, auxiliado pelos compatriotas Ernesto Uziga e Julio Fernandez. A TV Globo transmite o confronto para os estados de SP e PR (menos Cascavel, Foz do Iguaçu e Guarapuava). O GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances em Tempo Real a partir das 22h.

Corinthians: a equipe teve uma baixa inesperada. Cássio teve detectada uma lesão no punho esquerdo e não poderá voltar contra o San José, como era esperado. Julio Cesar será seu substituto. Os titulares que não enfrentaram o São Bernardo estão de volta, e Pato continua como opção para o segundo tempo. A formação: Julio Cesar, Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf e Paulinho; Danilo, Romarinho e Emerson Sheik; Guerrero.

San José: mesmo eliminado da Libertadores, o técnico Marcos Ferrufino vai escalar equipe praticamente completa para o duelo desta quarta-feira. O único desfalque será o zagueiro Palacios, suspenso, que será substituído por Tordoya. O time: Carlos Lampe, Didi Torrico, Luis Torrico, Carlos Tordoya e Ignácio Garcia; Roly Sejas, Mario Ovando, Abdon Reyes e Marcelo;

Quem está fora:

Corinthians: o goleiro Cássio, com lesão no punho esquerdo, o meia Renato Augusto, em tratamento de lesão na coxa direita, além do lateral-esquerdo Igor e do meia Douglas, ambos em fase de preparação física após se recuperarem de problemas médicos. O lateral-direito Guilherme Andrade fica pelo menos seis meses fora, após ter rompido o ligamento cruzado anterior do joelho direito.

San José: apenas o zagueiro Luis Palacios, suspenso.

 

Corinthians: a lesão de Cássio vai fazer Julio Cesar voltar a ser protagonista no Timão. Revelado pelo clube alvinegro, mas contestado por parte da torcida, Julio terá mais uma oportunidade de mostrar se pode ou não retomar a posição de titular que teve entre 2011 e 2012. Ele jogou bem contra o São Bernardo, domingo, e disse ter retomado a alegria de jogar futebol.

San José: Carlos Saucedo é o jogador mais perigoso de uma equipe sem tantos recursos técnicos. Foi dele o gol do San José no empate por 1 a 1 do jogo de ida, em Oruro.

 

Tite, técnico do CorinthiansEu participei de diversos campeonatos, e venci tendo ou não a vantagem de decidir em casa. Queremos trazer essa vantagem porque o fator torcida no Pacaembu é muito forte. Às vezes também é difícil jogar na frente do torcedor, você fica nervoso, mas, particularmente, quero isso para a minha equipe.

Marcos Ferrufino, técnico do San José: “Só quero pensar no jogo. A Justiça está encarregada do que deve ser feito. A partida vai ser complicada, difícil, e queremos nos despedir bem desta Libertadores. Fomos bem no México, na Colômbia e mesmo em Oruro, mas não soubemos concretizar nossas chances de gol“.

 

* O San José nunca venceu jogando em território brasileiro. Em três jogos, foram duas derrotas (3 a 0 para o Criciúma, em 1992, e 7 a 0 para o Santos, em 2008) e um empate ( 1 a 1 com o São Paulo, em 92).

* Por outro lado, o Corinthians defende a invencibilidade diante de equipes bolivianas na Taça Libertadores. Em cinco jogos, foram três vitórias e dois empates, contra Jorge Wilstermann e o próprio San José, na estreia da atual edição.

* O Corinthians defende também uma série de 14 jogos sem perder no Pacaembu pela Libertadores. A última derrota foi nas oitavas de final de 2006: 3 a 1 para o River Plate, em jogo que decretou a eliminação alvinegra naquele ano.

 

Em 20 de fevereiro, Corinthians e San José se encontraram pela primeira vez na história. Era a estreia do atual campeão mundial na Libertadores, mas pouca gente se lembra do empate por 1 a 1 em Oruro, gols de Guerrero, para o Timão, e Saucedo, para o San José. Após o gol do peruano, aos 5 do primeiro tempo, um sinalizador lançado por um torcedor corintiano matou o garoto Kevin Beltrán, de 14 anos. Desde então, 12 brasileiros estão presos na Bolívia.

FONTE: Globoesporte.com