Home / Destaque / Os 5 principais eventos do calendário econômico desta semana

Os 5 principais eventos do calendário econômico desta semana

Mercados financeiros globais estarão ocupados com as reunião de bancos centrais na próxima semana, com decisões sobre política monetária nos EUA, Japão, Reino Unido e Suíça.

Investidores também ficarão de olho nos dados da produção industrial chinesa em meio a recentes sinais de resfriamento da segunda maior economia do mundo.

Antes da semana que está por vir, a Investing.com compilou uma lista com os cinco maiores eventos do calendário econômico com grandes chances de afetar os mercados.

1. Decisão do Federal Reserve sobre a taxa de juros

A expectativa geral é de que o Federal Reserve eleve a taxa-alvo dos fundos federais em 0,25 ponto percentual na quarta-feira às 15h (horário de Brasília), quando se encerra a reunião de política monetária que dura dois dias, o que deixaria a taxa em uma faixa entre 1,0% a 1,25%.

O banco central norte-americano também divulgará suas mais recentes projeções de crescimento econômico e taxa de juros, conhecidas como “dot-plot”.

Janet Yellen, presidente do banco central norte-americano, deverá realizar uma entrevista coletiva 30 minutos após a divulgação da declaração do Fed, já que investidores procuram por qualquer mudança para um tom enérgico ao se tratar da economia ou futuras elevações da taxa de juros.

Agentes de mercado também ficarão muito atentos a detalhes sobre o plano do Fed de reduzir seu balanço patrimonial de US$ 4,5 trilhões ainda esse ano.

A média das projeções de dirigentes do Fed aponta para mais duas elevações da taxa de juros até o fim do ano, após já ter ocorrido aumento da taxa de juros de referência uma vez este ano de 0,25% em sua última reunião de política monetária em março.

Entretanto, uma série recente de dados econômicos norte-americanos decepcionantes unida à incerteza crescente sobre a habilidade da administração Trump aprovar a reforma fiscal e reforma do sistema de saúde causaram dúvidas sobre a habilidade do Fed elevar as taxas tanto quanto o banco central queria antes do fim do ano.

De acordo com Monitor da Taxa da Reserva Federal do Investing.com, as convicções para um movimento além da amplamente elevada alta dos juros desta semana estão em 40% dos agentes do mercado aguardando outro aumento ainda este ano.

Além do Fed, o calendário desta semana também terá dados norte-americanos sobre inflação, vendas no varejo, preços ao produtor, alvarás de construção, construção de novas casas, pedidos iniciais de seguro-desemprego, produção industrial, sentimento do consumidor e também estudos sobre condições industriais nas regiões de Filadélfia e Nova York.

2. Anúncio de política monetária do Banco da Inglaterra

O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) anunciará sua decisão da taxa de juros na próxima quinta-feira às 8h em horário de Brasília, sem previsão por parte dos analistas de mudança na política monetária.

Agentes do mercado esperam que os dirigentes do BoE adotem um tom cauteloso após os resultados surpreendentes das eleições parlamentares na semana passada, que não se converteram em maioria de nenhum partido e alavancaram um sentimento de caos político poucos dias antes do início das negociações do Brexit.

O BoE tinha afirmado antes das eleições que a política monetária permaneceria como está pelo menos durante os próximos meses conforme é avaliada a extensão de qualquer desaceleração do consumo enquanto esperam para ver como as negociações do divórcio com a União Europeia evoluem.

Além do BoE, investidores se concentrarão em dados mensais sobre inflação, desempregoe vendas no varejo para mais indicações sobre o efeito contínuo que a decisão do Brexit está tendo sobre a economia.

Investidores provavelmente continuarão a se preocupar com as últimas manchetes de Londres para qualquer repercussão sobre as eleições gerais da semana passada e que impacto isso terá nas negociações do Brexit.

3. Decisão de política monetária do Banco do Japão

Espera-se que o Banco do Japão mantenha sua política monetária inalterada ao divulgar a decisão sobre a taxa de juros e a declaração sobre política monetária por volta da meia-noite de sexta-feira, já que a economia cresce modestamente apesar da inflação e dos gastos dos consumidores estarem fracos.

O Banco do Japão deverá manter sua política de taxa de juros de curto prazo em menos 0,1% enquanto manterá o rendimento dos títulos do governo com vencimento em 10 anos em cerca de 0%. Também há projeções de que o banco central manterá o total líquido títulos que o governo japonês compra anualmente em cerca de 80 trilhões de ienes.

De acordo com fontes familiarizadas com o assunto, o banco central japonês provavelmente atualizará sua avaliação econômica e sinaliza sua convicção crescente de que a recuperação está ganhando impulso, reforçando expectativas de que seu próximo movimento seria de endurecimento da política monetária.

Haruhiko Kuroda, dirigente do Banco do Japão, participará de uma entrevista coletiva na sequência para discutir a decisão, com agentes do mercado buscando indícios sobre a estratégia do banco central.

4. Avaliação de política monetária do Banco Nacional da Suíça

A avaliação de política monetária trimestral do Banco Nacional da Suíça (SNB, na sigla em alemão) está prevista para quinta-feira às 08h30 (horário de Brasília). A maior parte dos economistas espera que a taxa de juros de referência permaneça inalterada em -0,75%.

O SNB também deve manter seu compromisso de intervenções no câmbio para reduzir a demanda pelo franco.

Thomas Jordan, presidente do SNB, repetiu recentemente que o franco suíço está “significativamente sobrevalorizado”.

5. Produção industrial na China

O Instituto Nacional e Estatísticas da China deverá divulgar os dados da produção industrial em maio às 23h (horário de Brasília) na próxima terça-feira. Analistas de mercado esperam que a produção das fábricas tenha subido 6,3% no último mês após ter subido 6,5% em abril.

A nação asiática divulgará dados sobre investimento em ativos fixos e relatório sobre vendas no varejo ao mesmo tempo.

Analistas esperam que a economia chinesa enfraqueça nos próximos meses após um forte primeiro trimestre, com dados recentes sobre a atividade industrial também indicando que uma desaceleração gradual está em curso.

 

Investing.com

Scroll To Top