sexta-feira , 24 novembro 2017
16 de Maio de 2013

Prefeitura de Itabira inicia eventos que marcam o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infanto-Juvenil e Luta Antimanicomial

Inicia nesta sexta (17), intervenções e campanhas educativas para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e o Dia Nacional de Luta Antimanicomial, ambos celebrados em 18 de maio.

Os eventos serão realizados pela Prefeitura de Itabira por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A Campanha Educativa acontece na praça Acrísio Alvarenga, das 8h às 12h. Já na parte da tarde, das 13h às 17h30, na Fundação Comunitária de Ensino Superior (Funcesi), acontece o Fórum da Rede de Atenção à Criança e Adolescente. 

Os objetivos do Fórum são criar comissões permanentes para atendimentos às crianças e adolescentes, por região, e fortalecer a Rede de Atenção à Criança e Adolescente, por meio de mobilização popular e dos profissionais, que contarão com campanhas educativas e treinamentos diversos.

Esta mobilização será articulada pelo Centro de Atenção Psicossocial para Adultos (Caps), Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Capsi) e o Centro de Convivência Interagir, do bairro João XXIII. Participam também, como parceiros, o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, a Secretaria Municipal de Ação Social, a Comissão de Atenção às Vítimas de Violência Sexual e Doméstica de Itabira e o Conselho Tutelar.              

No dia 18, para marcar a data, serão realizadas intervenções na avenida Mauro Ribeiro, de 8h às 12h, promovidas pelo Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf).

Outra atividade será a campanha educativa pela proteção e garantia dos direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais, de modo a aprimorar o modelo assistencial em saúde mental. E para encerrar, no dia 21 de maio, será ministrado pelo 5º Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar de Itabira, um treinamento com o tema “Abordagem a pacientes em crise”.

 

Sobre a data de combate ao abuso e à exploração sexual infanto-juvenil: esta data tornou-se um o marco nacional no combate ao abuso e à exploração sexual infanto-juvenil devido a um crime bárbaro que ocorreu em 1973, na cidade de Vitória-ES, contra Araceli Cabrera Sanches. A garota, então com oito anos, foi drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba.

Desde o ocorrido, a sociedade civil em defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes realiza, no dia 18 de maio, atividades em todo o País para promover a conscientização da sociedade e das autoridades sobre a gravidade da violência sexual como um todo, principalmente contra crianças e adolescentes.