sexta-feira , 24 novembro 2017
17 de Maio de 2013

Presidente se inspira em batalha na Grécia para conversa com jogadores

Ex-professor de história, Gilvan Tavares cita ‘300 de Esparta’: disputa na Grécia antiga em que 300 soldados enfrentaram um exército muito maior

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, foi à Toca da Raposa, na quinta-feira, para conversar com os jogadores. A semana é importante. Após ser derrotado por 3 a 0 pelo maior rival, o Atlético-MG, o Cruzeiro precisa se superar para devolver o placar e conquistar o Campeonato Mineiro, neste domingo, no Mineirão. Tarefa tão árdua que fez o dirigente celeste lembrar uma batalha da Grécia antiga: a Batalha de Termópilas, que guarda a famosa história dos 300 de Esparta.

Para motivar os atletas da Raposa, Gilvan usou o famoso combate em que 300 espartanos enfrentaram um exército persa inúmeras vezes maior, durante a Segunda Guerra Médica, quase cinco séculos antes de Cristo. Quem revelou o teor da conversa foi o volante Nilton, que disse ter achado muito interessante o discurso do presidente.

– As palavras dele foram curtas e grossas. Disse que vai estar sempre incentivando. Deu um exemplo dos gladiadores da Grécia. Neste momento, somos os 300 (de Esparta), temos que passar por cima de todos e incentivar cada vez mais nossos companheiros. Temos 90 minutos para reverter esse placar. Não tem nada perdido. É difícil, mas não impossível.

O presidente celeste comentou sobre o discurso feito aos jogadores. Para ele, a história dos soldados espartanos (retratada no filme 300, que conta com a participação do ator brasileiro Rodrigo Santoro) é um exemplo do que o Cruzeiro precisará: superação.

 Eu fui professor de história. E uma das coisas que mais me chamaram a atenção, sobretudo na historia da Grécia, que foi um povo muito empreendedor, foi a batalha de Termópilas. Usei isso para demonstrar que quando pessoas se unem com vontade, com o mesmo pensamento, eles fazem coisas que podem ser consideradas quase impossíveis. Contei a história dos 300 de Esparta, que enfrentam 10 mil soldados.  Eles se dispuseram a enfrentar e conseguiram. Não ganharam a guerra, mas impediram a invasão.

O presidente celeste acredita ter tido sucesso com a explanação.

Achei que consegui a atenção deles. Eles estavam concentrados, ouvindo com muita atenção. Foi matéria de reflexão para eles. Quando se consegue captar a atenção de um grupo grande, é bom. Acho que foi valido. E era a palavra oficial do clube. Era o presidente dizendo que confia. Não só o presidente como toda a diretoria.

nilton-tarcisiobadaroApós a batalha

Gilvan acredita que o Cruzeiro pode sair fortalecido após o Campeonato Mineiro. Independentemente da conquista do título, ele diz confiar no planejamento e no grupo montado para 2013.

– Disse para eles que vitória se constrói, título se ganha. É passo a passo. Prédio não se faz de uma vez, tem que começar pela base. Nós fizemos isso, e eles mostraram que o investimento que nós fizemos, as pessoas que nós escolhemos, tudo isso, foi acertado. O Cruzeiro estava invicto no Mineiro, todo mundo elogiando. Foi a única partida que o Cruzeiro perdeu. Fizemos jogos muito bons, com uma equipe que ainda não se considera plenamente entrosada. O Cruzeiro ainda vai mostrar muito futebol. Tem jogadores para entrar na equipe como o Dedé, o Lucca, o Martinuccio. O Henrique ainda vai nos ajudar este ano. Temos um grupo fortíssimo, que quando estiver mais entrosado, vai ser difícil de ser batido.

Fonte: Globoesporte.com

Foto: Tarcísio Badaró/Fernando Martins