sábado , 19 agosto 2017
6 de abril de 2013

Sem Fabuloso e Jadson, SP perde quase metade do poder de ataque

 

Artilheiros, jogadores fizeram mais de 46% dos gols da equipe no ano e são desfalques na ‘decisão’ contra o Atlético-MG por suspensões infantis

rib_1947A derrota para o Strongest, em La Paz, complicou a situação do São Paulo na Taça Libertadores, mas os problemas vão além. Mais do que passar a depender de outro resultado para avançar às oitavas de final, o Tricolor enfrentará o Atlético-MG, dia 17 de abril, no Morumbi, sem seus dois maiores goleadores: Luis Fabiano e Jadson. Ambos suspensos em lances infantis.

Centroavante e meio-campista representam nada menos que 46% dos gols marcados pelo Tricolor em 2013. Entre as partidas do Campeonato Paulista e da Libertadores, incluindo a fase prévia, a equipe balançou as redes 43 vezes, sendo 12 com o Fabuloso e outras oito com o camisa 10.

Os dois, aliás, foram determinantes para que o São Paulo chegasse à fase de grupos do torneio sul-americano. Na goleada por 5 a 0 sobre o Bolívar, no Morumbi, Luis Fabiano anotou dois e Jadson, um – Rogério Ceni e Osvaldo completaram. Em La Paz, mais um gol de cada na derrota por 4 a 3 – Osvaldo marcou o outro.

O rendimento do Fabuloso na fase de grupos, porém, não foi tão satisfatório. Luis Fabiano balançou a rede apenas diante do Strongest, no Morumbi, enquanto Jadson marcou frente ao Arsenal, no Pacaembu. Curiosamente, o artilheiro da equipe nessa fase do torneio é o reserva Aloísio, com dois.

A saída de ambos aconteceu de forma turbulenta. A promessa de ter um ano mais calmo não foi cumprida por Luis Fabiano. Irritado, ofendeu o árbitro Wilmar Roldán após o apito final do duelo contra o Arsenal e acabou suspenso por quatro jogos. Na última quinta, a equipe sentiu falta dele ao desperdiçar várias oportunidades de impedir a derrota para os bolivianos.

Jadson, sempre tão controlado, também perdeu a cabeça em um momento inoportuno. O jogador empurrou um gandula que tentava retardar o reinício da partida contra o Strongest, na última quinta, e foi punido com cartão amarelo, acumulando três e ficando fora da partida que decidirá o futuro do São Paulo no principal torneio das Américas.

– São jogadores importantes e vamos ter que buscar soluções no elenco para montar um time forte – conformou-se o técnico Ney Franco.

A maior probabilidade é de que o treinador volte a utilizar o esquema 4-2-3-1. Com isso, deixaria Ganso como o único armador e colocaria Wallyson ao lado de Aloísio e Osvaldo no ataque.

FONTE: Globoesporte.com