Home / Culinária / Superintendente da Fundação Cultural fecha parcerias com importantes instituições culturais do Rio de Janeiro

Superintendente da Fundação Cultural fecha parcerias com importantes instituições culturais do Rio de Janeiro

Entre os dias 21 e 25 de setembro, a superintendente da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA), Cristina Magalhães, esteve no Rio de Janeiro e visitou instituições que são importantes referências no trabalho de preservação e difusão da vida e da obra de Carlos Drummond de Andrade.

Acompanhada pelo assessor cultural da FCCDA, Marcos Alcântara, Cristina Magalhães teve a oportunidade de conhecer e estabelecer novas relações com Instituto Moreira Salles (IMS) e a Fundação Casa Rui Barbosa. Além disso, visitou o neto de Drummond, Pedro Graña Drummond e conheceu o apartamento no qual o poeta itabirano viveu durante os anos em que morou na capital fluminense.

INSTITUTO MOREIRA SALLES

O Instituto Moreira Salles abriga importantes obras artístico-culturais em diferentes áreas: fotografia, música, literatura e iconografia. Na literatura, cartas, papéis, documentos diversos e livros compõem os acervos de arquivos pessoais de escritores como Otto Lara Resende, Erico Veríssimo, Clarice Lispector, Lygia Fagundes Telles e, claro, Carlos Drummond de Andrade.

O IMS é conhecido como incontestável difusor desses acervos. Nesse sentido, tem procurado estabelecer convênios e intercâmbios com universidades, brasileiras e estrangeiras, bem como outros museus e instituições culturais.

Sendo assim, durante a visita ao IMS, Cristina Magalhães e Marcos Alcântara tiveram a oportunidade de conhecer a coordenadora de literatura da instituição, Elvia Bezerra. Na busca por novas parcerias, falaram sobre a possibilidade de trocar experiências e compartilhar acervos, já que o IMS detém grande número de obras relacionadas a Maria Julieta, filha de Drummond. Também entrou na pauta a possibilidade de Elvia conhecer o trabalho realizado pela FCCDA e trazer a proposta do Clube da Leitura, um dos projetos bem-sucedidos do Moreira Salles, para Itabira.

Para entender como o projeto funciona, Cristina Magalhães e Marcos Alcântara, assistiram a palestra do jornalista Edmilson Caminha, ligada ao Clube da Leitura. Nela, Caminha conta um pouco da relação entre Drummond e o escritor carioca Antônio Carlos Villaça. Villaça é reconhecido como um dos mais importantes memorialistas em sua área no Brasil, tendo recebido, em 2001, pelo conjunto de sua obra, o Prêmio Machado de Assis, concedido pela Academia Brasileira de Letras.

Quando lançou o livro “O nariz do morto”, Villaça despertou em Drummond uma imensa curiosidade sobre o tal “nariz” definindo-o, num poema de mesmo nome (publicado em “Discurso de primavera”), como “duro e triste, machucante”. Assim, durante a palestra, Caminha ressaltou a proximidade entre as escritas dos dois autores, cheia de um humor discreto, ácido e perspicaz.

FUNDAÇÃO CASA RUI BARBOSA

Outro roteiro importante na visita dos itabiranos à capital fluminense foi a Fundação Casa Rui Barbosa. Lá, eles puderam conhecer os modernos sistemas utilizados para consulta ao acervo relacionado à obra drummondiana. Hoje, com aval dos netos de Drummond, a Casa Rui Barbosa é a principal guardiã de cartas, documentos, fotos, livros, primeiras edições, entre diversos itens relacionados ao escritor mineiro.

A ideia é que a Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade e a Casa Rui Barbosa estabeleçam contato direto para intercambiarem informações e expandirem os trabalhos de difusão da obra do poeta maior. Para Marcos Alcântara “essa é uma oportunidade ímpar, já que a Casa Rui Barbosa se transformou em um centro de referência no que diz respeito à obra de Drummond. Assim, como primeiro passo dessa parceria, foi possível trazer a Itabira os fac-símiles de três poemas do livro ‘A rosa do povo’ para que os itabiranos conheçam ainda mais sobre seu conterrâneo.”

HERANÇA DE FAMÍLIA

A estadia dos mineiros em terras cariocas se encerrou com um agradável encontro com Pedro Augusto e Luiz Maurício Graña Drummond, dois dos três netos de Drummond. Na oportunidade, eles conheceram o apartamento em que o itabirano viveu no Rio de Janeiro, bem como todo o acervo que os netos preservam, entre obras de arte de artistas como Portinari e livros originais que constituem a biblioteca pessoal do poeta.

Durante o encontro foi discutida uma futura parceria para dar continuidade, em conjunto com a família do itabirano, ao projeto “Museu Casa de Drummond”. Pedro sinalizou positivamente quanto ao plano museológico já desenvolvido pela FCCDA e mostrou-se animado quando a possibilidade de doar bens do avô para o acervo de futuro museu.

Ainda durante o encontro, Pedro doou para a FCCDA revistas com entrevistas e citações de Drummond, para o acervo do Memorial, e livros do autor para serem disponibilizados nas bibliotecas Maria Julieta e Luiz Camillo de Oliveira Netto.

Para a superintendente da Fundação Cultural “esse é um momento muito positivo para o desenvolvimento cultural de Itabira e para o fomento a obra de Drummond. Esse contato foi um importante passo para fortalecer o diálogo entre Pedro e a FCCDA. Ele é um parceiro indispensável quando pensamos em projetos voltados para a preservação da obra do poeta.”

Assessoria de Comunicação FCCDA

Galeria de Fotos

Por Itafatos

 

Scroll To Top