Home / Geral / PF descarta inicialmente envolvimento de Perrella com apreensão de cocaína

PF descarta inicialmente envolvimento de Perrella com apreensão de cocaína

Quase meia tonelada da droga foi apreendida no Espírito Santo, dentro da aeronave que pertence a empresa de filho do deputado

Tábita Martins

Publicação: 25/11/2013 18:39 Atualização: 25/11/2013 19:39

 (PF)  

O superintendente da Polícia Federal, Erivelton Leão de Oliveira, informou em coletiva de imprensa, na tarde desta segunda-feira, que inicialmente está descartado o envolvimento de parentes do deputado Zezé Perrella (PDT) no transporte de drogas feito com o helicóptero da empresa da família. Após o pouso da aeronave, na noite de ontem, no Espírito Santo, foram apreendidos 400 quilos de cocaína

O helicóptero da Limeira Agropecuária – empresa do deputado estadual Gustavo Perrella, filho do senador Zezé Perrella (PDT), foi interceptado em uma propriedade perto do distrito de Ibicaba, próximo à cidade de Afonso Cláudio, no interior do Espírito Santo.

Quatro homens, entre eles o piloto de Perrella, foram presos em flagrante durante uma operação da Polícia Militar, que teve apoio da Polícia Federal do Espírito Santo. O piloto confirmou ao delegado que tinha autonomia para usar o veículo como “freelancer”, mas que não sabia o que estava sendo transportado. Os outros três suspeitos que realizavam a descarga no momento do flagrante também alegaram não saber o que estava dentro das embalagens. 

Desde quinta-feira, a fazenda estava sendo observada pelo serviço de inteligência da PM, que desconfiou da movimentação. Segundo o capitão Marcelo Vieira Hollanda, do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo Polícia Militar, o fato de o terreno ter sido comprado com dinheiro vivo por um preço três vezes maior do que valia no mercado levantou suspeitas. Na quinta-feira,  uma caminhonete foi vista transportando uma galão de combustível. Outras pessoas que não eram da cidade começaram a chegar ao local.

No domingo de manhã,  um helicóptero foi visto sobrevoando a fazenda e depois desapareceu. A polícia acionou reforços do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo, mas só depois conseguiram flagrar a aeronave em uma clareira,  depois que um policial subiu em uma árvore alta.

Devido à grande quantidade de droga apreendida, a PF foi acionada pela PM. Além dos 400 quilos de cocaína, foram recolhidos R$ 18 mil em dinheiro. Foram presos o piloto Rogério Almeida Antunes, de 36 anos, que é natural de Campinas, São Paulo, o co-piloto Alexandre José de Oliveira Júnior, de 26 anos, o comerciante Róbson Ferreira Dias, de 56, e Everaldo Lopes de Souza, de 37.

Os suspeitos estão presos e ficarão à disposição da Justiça. Se condenados, podem pegar de 3 a 15 anos por tráfico de drogas, 3 a 10 anos por associação ao crime de drogas e ainda ter um aumento de pena em 2/3 por tráfico interestadual.

O deputado informou hoje na coletiva, realizada na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que o piloto terá que responder por roubo, já que não foi autorizado a fazer o voo. No entanto, o helicóptero também ficará apreendido à disposição da Justiça. 

Com João Henquique do Vale

Fonte: em.com.br

 

Scroll To Top